Teatro para todos

Rosângela Rizzolo Camolese

Muito se tem dito que a cidade de Piracicaba vive uma de suas melhores fases de desenvolvimento. Além de reafirmar esta máxima, digo que obrigatoriamente esse progresso passa pela cultura, graças à soma de esforços e a sintonia entre poder público e sociedade civil. O Fentepira é exemplo claro disso.

Já no sexto ano de realização, este foi o primeiro Festival implantado no início da minha gestão na Secretaria Municipal da Ação Cultural. Seu modelo serviu como vitrine para trabalharmos intensamente na criação de outros projetos culturais, caso do Festival Internacional de Música Erudita e do Festival de Dança de Piracicaba (Piradança).

O Fentepira nasceu a partir da preocupação da classe artística em trazer para a cidade o que há de melhor nas artes cênicas do país e, consequentemente, contribuir para a formação de plateia e para o aperfeiçoamento dos grupos locais. É por isso que existe uma lei municipal regulamentando o Festival, que é, portanto, permanente no calendário de atividades do município.

A cada edição temos um Fentepira renovado, reflexo da colaboração das entidades piracicabanas. Agradeço a Apite!, Sesi, Senac, Sesc, Tusp Piracicaba, Unimep e Esalq, instituições estas que hoje compõem a comissão organizadora, formada por profissionais da Semac, da Secretaria Municipal de Educação e por pessoas respeitadas no cenário das artes cênicas.

As atrações que presenciaremos em dez dias de programação possuem como palco o Teatro Municipal Dr. Losso Netto, Casarão do Turismo da Rua do Porto e Praça José Bonifácio. E é com muita alegria que aguardamos um novo cenário para o Fentepira no próximo ano, o Teatro Municipal Erothides de Campos, no Engenho Central. O equipamento público está sendo construído a partir do que existe de mais sofisticado mundialmente, com 426 assentos e 2.500 metros quadros de construção.

Ao citar o Novo Teatro, é inevitável falar do Fentepira. E ao lembrar o Fentepira, fica difícil deixar o passado recente de lado. A Piracicaba que pulsa cultura estava carente de iniciativas, mas com muito trabalho conseguimos mudar esse quadro, atentos sempre aos anseios dos apreciadores da cultura.

Em sete anos construímos vários centros culturais nos bairros da cidade, investimos no Teatro Municipal Dr. Losso Netto, revitalizamos a Estação da Paulista, o Museu Prudente de Moraes e a Pinacoteca Municipal Miguel Dutra. Conquistamos ainda uma nova sede para a Biblioteca Pública Municipal Ricardo Ferraz de Arruda Pinto. Hoje, estão mais fortes os eventos tradicionais da cidade, como o Salão Internacional de Humor, os dois novos festivais – de dança e música – e, claro, o Festival de Teatro.

As transformações representam as necessidades da população de Piracicaba. Os palcos do Fentepira são a maior prova do progresso piracicabano e, o público sua maior testemunha. Testemunham também os patrocinadores e apoiadores, que nos auxiliam na construção de uma estrutura sólida, junto às artes de nossa cidade.

Bons espetáculos a todos!

Rosângela Rizzolo Camolese é secretária Municipal da Ação Cultural

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s