Conversa de Boteco aborda políticas públicas em cultura

O Ponto de Cultura Garapa vai abrigar a próxima rodada do projeto Conversa de Boteco, cuja quarta edição integra a mostra Cenas sem Fronteiras do 6º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba). Com a presença do diretor, cenógrafo, iluminador e fundador do grupo Engenho Teatral, Luiz Carlos Moreira, o encontro acontece às 21h de segunda-feira (31), com o tema Políticas públicas em cultura. A entrada é gratuita.

“A proposta é discutir sobre políticas pública em cultura, com foco em teatro, debatendo sobre incentivo fiscal, os fundos e as condições dos programas públicos de incentivo, que continuam abandonados”, diz Fátima Monis, uma das organizadoras do evento. Orientadora do Núcleo de Artes Cênicas do Sesi Piracicaba, Fátima também integra a comissão organizadora do 6º Fentepira.

Para Fátima, uma exceção ao abandono é o Programa de Fomento em São Paulo, mas existem ainda outros que precisam ser aprimorados, como o Prêmio Teatro Brasileiro, o Fundo Estadual de Arte e Cultura e o Procultura, que segundo ela “poucas vezes produtores e artistas têm acesso para obter informações”.

Moreira também é fundador da Cooperativa Paulista de Teatro (CPT). Em 1979, lançou o Engenho Teatral, à época com o nome de Apoena. O projeto atua até hoje na periferia de São Paulo junto a uma população tradicionalmente marginalizada em teatro.

Ele participou de vários movimentos como o Urdimento, que levaria Lélia Abramo à presidência do Sindicato dos Artistas e Técnicos, e o Arte contra a barbárie, que recolocou a discussão de uma política pública de cultura fora dos parâmetros mercantis. Moreira foi responsável pela programação dos teatros distritais de São Paulo, diretor do Sindicato dos Artistas e Técnicos e membro da Comissão Estadual de Teatro.

A capacitação do diretor e suas atividades no fomento foram fortalecidas com trabalhos como a participação na redação das leis que instituíram o Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, transformado em lei em 2002, o Fundo Estadual de Arte e Cultura, que volta, agora, em discussão na Assembleia Legislativa, e Prêmio Teatro Brasileiro, em discussão no Congresso Nacional.

O Conversa de Boteco conta com recursos do FAC (Fundo de Apoio à Cultura) da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural). É uma realização de vários nomes ligados ao movimento cultural da cidade – que se autointitularam Produção Paralela – em parceria com o Sesi, Tusp/Piracicaba, Casvi, Núcleo Universitário de Cultura, Conselho Municipal de Cultura, Lao Bar Bistrô, Ponto de Cultura Garapa, Bar Cruzeiro, MovimentAção Cultural e Apite!.

Em 2011 serão seis encontros do projeto, sendo os três primeiro realizados com Roberto Rosa, fundador da Cia. de Teatro Fábrica/São Paulo, o dramaturgo Mário Bortolotto e o professor de filosofia e psicanalista Márcio Mariguella. As duas próximas edições terão Eduardo Seicman debatendo A força estranha da voz (14 de novembro) e Celso Frateschi com o tema O artista contemporâneo (6 de dezembro).

SERVIÇO – Cenas sem Fronteias do Fentepira apresenta Conversa de Boteco com Luiz Carlos Moreira. Nesta segunda-feira, 31 de outubro, às 21h, no Ponto de Cultura Garapa (rua Dom Pedro II, 1313, bairro Alto). Entrada gratuita. Mais informações: (19) 3433-5952 e http://www.fentepira.wordpress.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s