Marici Salomão assume curadoria do 7º Fentepira

A dramaturga, jornalista e crítica teatral Marici Salomão assume a curadoria do Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba) em 2012. Coordenadora do curso de Dramaturgia da SP Escola de Teatro, ela está na cidade esta semana para analisar os 275 espetáculos inscritos de 93 cidades brasileiras e uma montagem internacional, vinda de Moçambique. Entre as atribuições da curadora está também a analise das quatro peças locais que pleiteiam vaga na sétima edição da mostra, este ano agendada para 27 de outubro a 4 de novembro.

“O Festival tem entre os seus principais objetivos a formação de plateia, por isso o meu trabalho é fazer que o público entenda por onde o teatro caminha hoje”, destaca Marici, que traz para Piracicaba sua experiência como jurada, debatedora e crítica em vários festivais nacionais.

Em 2011, ela atuou como curadora do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT), além de avaliadora do Festival de Teatro de Recife. Marici coordenou o Círculo de Dramaturgia do CPT (Centro de Pesquisa Teatral), sob supervisão de Antunes Filho, entre 1999 e 2003.

Atualmente coordenadora do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, Marici diz ser preciso que o Fentepira seja entendido pelo público como uma política pública pensada no seu crescimento. “Queremos conquistar também a juventude e, por isso, tentamos encontrar um formato que agrade a todos, com peças com linguagens não totalmente popularescas e nem tão elitistas, para que todos possam acessar. Nossa intenção não é elitizar o Festival”, diz.

Marici é jurada do prêmio Shell de Teatro e curadora e coordenadora artística do projeto Dramaturgias Urgentes, do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em São Paulo. Na imprensa, atuou como colaboradora do Caderno 2 do jornal O Estado de S. Paulo e da revista Bravo! Em artes cênicas, é autora de O Retiro dos Sonhos, Bilhete, Maria Quitéria, Impostura e Território Banal.

Para Marici, excelência artística é fundamental no processo de seleção das companhias que serão contempladas. “Quero entender o processo de trabalho dos grupos. O Fentepira não pode ser apenas uma vitrine do que há de melhor nas artes cênicas, mas precisa refletir o que companhias estão desenvolvendo no país em termos de processo criativo”, diz.

A co-curadoria da sétima edição do Fentepira está sob a batuta de Fátima Monis, orientadora do Núcleo de Artes Cênicas do Sesi Piracicaba. Ela faz parte da comissão organizadora do Festival desde a primeira edição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s