Solo teatral resgata memórias da ditadura militar

A repressão militar é o mote do espetáculo Maria, Sou Eu, do grupo piracicabano Por Volta de Logo Depois. Interpretado por Alessandra San Martin, o solo teatral compõe a mostra oficial do 9º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba), com apresentação no feriado da Consciência Negra (quinta-feira, 20), às 20h, no Teatro Erotídes de Campos, no Engenho Central. A distribuição dos ingressos (gratuitos) começa uma hora antes do início da atração.

A produção foi concebida com o intuito de provocar a sociedade e órgãos públicos sobre o direito inalienável e superior de esclarecimentos sobre o paradeiro póstumo e causa mortis das centenas de vítimas torturadas e assassinadas na ditadura civil-militar brasileira, entre 1964 e 1984.

Esquecida num arquivo morto, Maria busca resgatar sua história apagada pelas torturas do aparelho repressor estatal-militar. Ela tenta se lembrar “Maria do quê?” e, aos poucos, rememora passagens importantes de sua vida e luta: dores, alegrias e amores, na ânsia de que um dia os arquivos em que ela e outros desaparecidos sejam abertos.

O espetáculo é resultado de uma pesquisa corporal e vocal baseada no Teatro Físico, buscando uma linguagem cênica que exprima todas as sensações vividas e experimentadas pela personagem, formando uma dramaturgia corpóreo-expressiva para levar de forma clara ao público toda a inquietação em busca do direito de revelar a verdade.

Caixas e papéis são utilizados na composição do cenário para representar os grandes arquivos mortos, repletos de documentos humanos. Além da interpretação, Alessandra San Martin é responsável pela dramaturgia e adaptação. A trilha sonora original é executada ao vivo pelo violoncelista Gabriel Mazon, enquanto Jonatas Carvalho assina o projeto de iluminação. A direção é de João Malão.

A força da temática de Maria, Sou Eu tem possibilitado apresentações em diversos eventos de artes, com reconhecimento da crítica e do público. A montagem foi uma das selecionados para o 2º Festival Internacional de Teatro Ponte…na Escena, em maio, em Gondomar, na Espanha. Entre os festivais que colecionou prêmios no ano passado estão o Cenata, em Araçatuba, o Proscênio, em Indaiatuba, e o Festaett, em Tupã.

HISTÓRICO – O grupo de teatro Por Volta de Logo Depois surgiu a partir de um trabalho conjunto e de interação de seis anos, dentro de uma instituição educacional, onde os primeiros integrantes conviviam como alunos/atores e professora/diretora. Fora da instituição, eles formaram um grupo independente e puderam seguir suas próprias inquietudes artísticas, pesquisas estéticas e técnicas de interpretação.

A estreia do grupo, em 2010, se dá com o espetáculo Eu Estreio em 7 Minutos, de Henrique Rochelle. A busca por uma linguagem própria se concretiza a partir de 2013, com três espetáculos cuja a pesquisa corporal e vocal são baseados no Teatro Físico: Maria, Sou Eu, O Inferno Nem É Tão Longe e Numa Quarta-Feira Qualquer.

Atualmente, o grupo está em trabalho de pesquisa para a próxima montagem, tendo como base o espetáculo Liberdade, Liberdade, de Flávio Rangel e Millôr Fernandes.

9º FENTEPIRA – Maria, Sou Eu integra a mostra oficial do Fentepira, que em 2014 selecionou 11 montagens brasileiras de 346 peças inscritas, de 17 estados e 89 cidades. Ainda nesta quinta-feira, às 19h50, no hall do Teatro do Engenho, o público será recepcionado pelo grupo Sexta-feira Pode Tudo, de Piracicaba, que apresenta a esquete cômica Linguiça Só de Soja.

Outros dois espetáculos infantis, pelo projeto Diversão em Cena, da ArcellorMittal, estão na programação, que traz três oficinas e a 21ª Mostra de Teatro Estudantil, realizadas nos dias 13, 14 e 17 de novembro. As apresentações acontecem no Teatro Erotídes de Campos, na área externa do Engenho Central, praça José Bonifácio e Teatro do Sesi.

Após a apresentação no Teatro do Engenho, o público pode acompanhar o bate-papo entre debatedores do Fentepira e o grupo. A intenção é discutir os aspectos cênicos da montagem. O trabalho está aos cuidados do professor do Instituto de Artes da Unesp, Alexandre Mate, do curador Roberto Rosa e da dramaturgista Fátima Saadi.

A Prefeitura do Município de Piracicaba é realizadora do Fentepira, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural, com o apoio do Sesi Piracicaba, Senac Piracicaba, Apite! (Associação Piracicabana de Teatro), Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), Secretaria Municipal de Educação, Colégio Piracicabano, Ponto de Cultura Garapa, Rádio Educativa FM e Centro de Comunicação Social.

SERVIÇO – 9º Fentepira, com o espetáculo Maria, Sou Eu, do Grupo Por Volta de Logo Depois. Quinta-feira, 20, às 20h, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, no Engenho Central. Entrada gratuita. Ingressos disponíveis uma hora antes do início do espetáculo. Duração: 40 minutos. Classificação: 16 anos. Informações: http://www.fentepira.com.br ou 3413-8526 e 3413-5212.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s